sexta-feira, 19 de abril de 2013

Polícia Federal em Pernambuco cumpre Mandado de Prisão Preventiva e um de Busca e Apreensão dentro da “Operação Oceânia” deflagrada na Bahia


A Polícia Federal da Bahia, deflagrou, ontem, quinta-feira, dia 18.04.2013 a “Operação Oceania”, que investiga uma quadrilha especializada em clonagem de cartões de crédito. As investigações duraram um ano e meio sob a responsabilidades do Grupo de Repressão a Crimes Cibernéticos da Polícia Federal e contou com o apoio da Procuradoria da República. Os presos são acusados de integrar uma quadrilha que atuava na Bahia e em Pernambuco.  Ao todo foram autorizados pela Justiça, 14 (quatorze) Mandados de Busca e Apreensão e 9 (nove) de Prisão Preventiva. Sendo que 07 (sete) Mandados de Busca foram cumpridos em Feira de Santana/BA, 06 (seis) em Salvador/BA e (01) um em Recife/PE. Já as prisões foram 04 (quatro) em Feira de Santana/BA, 04 (quatro) em Salvador/BA e (01) uma em Recife/PE.

A Operação Oceania contou com uma equipe de 75 policiais federais que apreenderam computadores e documentos falsos utilizados pelos acusados. As investigações começaram a partir da descoberta de fraudes na Caixa Econômica Federal, uma das instituições financeiras lesadas pela quadrilha. A Polícia Federal e o Ministério Público descobriram que o grupo utilizava máquinas ‘chupa-cabras’ para obter os dados dos cartões, produzindo o clone. Os envolvidos foram indiciados por formação de quadrilha e furto qualificado mediante fraude. A quadrilha aplicava golpes no mercado e também na internet e documentos apreendidos comprovam a abertura de empresas em nomes de ‘laranjas’.

Em Recife/PE a Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos da PF cumpriu 01 (um) Mandado de Busca e Apreensão no bairro da UR-II, no Ibura/PE e 01 (um) de Prisão Preventiva em desfavor de ARTHUR GUEDES DA SILVA, vendedor de produtos alimentícios, natural de Recife/PE, 36 anos, casado, e residente em Jaboatão dos Guararapes/PE. Em sua residência foram apreendidos, máquinas de crédito e de débito, cartões magnéticos, disco rígido de computador, além de diversas correspondências de cartão de crédito expedida pelas operadoras de diversas bandeiras.

Em seu interrogatório ARTHUR negou sua participação nesse tipo de conduta criminosa, porém as investigações apontam sua possível participação numa quadrilha de clonagem de cartões de crédito no estado da Bahia e em Pernambuco, participando ativamente na instalação de maquinas de cartão de crédito e débito em estabelecimento comercias (shopping center recife) com o intuito de capturar as trilhas dos cartões e as senhas com o objetivo de roubar os valores existentes tanto no limite dos cartões como das contas bancárias. 
Dentre os golpes estão também a participação de funcionários dos correios que desviavam as correspondências de cartão de crédito para quadrilha, os quais liberavam o limite do cartão para compras com dados das pessoas conseguidos através dos cadastros fornecidos por lojistas inescrupulosos. Os integrantes da quadrilha muitas das vezes instalavam as máquinas sem o consentimento do proprietário da loja e após o cliente passar o seu cartão e digitar a sua senha os dados eram armazenados e repassados via “blue tooth” para os demais comparsas afim de que fossem acessados os dados financeiros das pessoas.

Após seu interrogatório o suspeito foi indiciado pela prática de furto qualificado mediante fraude, e caso seja condenado poderá pegar penas que variam de 1 a 4 anos de reclusão, na sequência ele fez exame de corpo de delito e em seguida foi encaminhado par ao COTEL onde ficará à disposição da Justiça Federal.

Nenhum comentário :

Postar um comentário