quinta-feira, 12 de julho de 2012

Policiais de Garanhuns percebem a manobra do Governo e recusam pacote de medidas

Policiais Civis da Seccional de Garanhuns (agentes, escrivães e comissários), rejeitaram o PJES oferecido pelo governo do estado, coincidência ou não, eles também tem Assembleia Geral marcada para o mesmo dia em que está marcada a Assembleia Geral dos Delegados de Polícia de Pernambuco.


Escrito por Claudia
Qua, 11 de Julho de 2012 18:43

Os policiais civis da Seccional de Garanhuns (agentes, escrivães e comissários), depois de avaliarem o pacote de medidas apresentado pelo Governo, percebendo se tratar de uma manobra para tentar desmobilizar a categoria, decidiram, nesta terça-feira(10/07) responder ao estado com a rejeição à proposta. Em reunião com a direção do Sinpol/PE, demonstraram um alto grau de consciência e compromisso com a luta por melhorias salariais permanentes. O grupo continuará recusando a participação no Programa de Jornada Extra (PJE's).

Na ocasião, inclusive, foi solicitado ao sindicato o encaminhamento do modelo padronizado de abaixo assinado, para que todos assinem a rejeição do pacote de medidas apresentado pelo Estado. A exemplo de Garanhuns, os policiais do interior têm sido exemplos de conscientização e mobilização em prol da campanha salarial.

Cronograma para deflagração de greve
Escrito por Claudia
Sex, 06 de Julho de 2012 19:31

 
Para proteger o movimento contra uma ação de ilegalidade, os policiais civis de Pernambuco definiram na Assembleia desta quinta-feira (05/07) um cronograma para cumprir o que determina a legislação 7.783/89, seguindo os passos necessários para a deflagração de uma greve por tempo indeterminado. Amanhã (sexta-feira 06/07) será publicado um edital num jornal de grande circulação do Estado, convocando a categoria para nova assembleia dia 17/07, quando será decretado indicativo de greve e serão elencados todos os serviços essenciais que devem ser mantidos durante a paralisação geral, com início 72 horas após a assembleia, com prazo indeterminado para término.
"Estas são medidas de proteção para a categoria e o sindicato. Já esperamos tempo demais por uma proposta do Governo e não houve avanços na negociação. A situação da Polícia Civil de Pernambuco é lastimável. Estamos entre os piores salários do país, faltam efetivo, equipamentos de proteção, não recebemos adicional noturno, vale-refeição, e trabalhamos em condições estruturais precárias", declarou Cláudio Marinho, presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol/PE).

Fonte: sinpol-pe

Um comentário :

  1. parabéns policiais civis, concordo com vocês em tentar melhorar esse mísero salário que esse governo ditador paga às forças de segurança, Estadual. pena que, devido à proibição de lei, a polícia militar não possa aderir esse movimento em apoio aos senhores, lembrando que, no final da década de 1990, houve uma paralisação da polícia militar, e quase que acontecia um desastre no Estado de Pernambuco, porém, quem mais sofre com isso é a população mais carente que precisa dos serviços da polícia, pois, a "elite" no nosso país, é blindada... parabéns! esperar que consigam lograr êxito em suas reivindicações...

    ResponderExcluir